Pai, ser pai, não é apenas aquele que participa na concepção do bebê, não é aquele que acompanha na gestação, que paga as contas, posta foto nas redes sociais, ou que troca a fralda! Ser pai vai muito além disso, ser pai é ser presente, é abrir mão da própria vida social, profissional muitas vezes, é entender que as mães fazem isso, e estar junto com elas nesse momento. É dar apoio incondicional, em todos os momentos, só para ter um exemplo, amamentação, é uma responsabilidade da família, e o pai tem seu papel nesse período também. Eu tenho o privilégio de ter um paizão ao meu lado, na criação da nossa filha, paizão da porra! Mas sei que na grande maioria dos lares não é bem assim. A mãe tem um vínculo natural com os filhos, mas o pai tem que construir, e esse processo se inicia desde o momento que o bebê sai da barriga, e tem homens que só percebem isso quando não conseguem ter um relacionamento com seus filhos.

 

Sou casada a quase 11 anos, e só agora fui ter minha filha, eu sempre tive muito medo de como seria, se eu iria dar conta, e principalmente se o papai, que tanto queria, se ele iria participar efetivamente, de verdade. Foram anos de desentendimento, o momento para ele já tinha chegado a muitos anos atrás, enquanto para mim demorou a dar o estalo. Por eu ver muitas mulheres criando filhos sozinhas, eu tinha muitos receios quanto a maternidade. E não estou falando apenas de mães solteiras, de mulheres que tiveram produção independente, não, eu vejo muitas mulheres casadas que o marido não faz nada na criação dos filhos. Respeito e admiro muito as mulheres que tem, e criam seus filhos sozinhas, e sei que somos muito capazes, mas acho imprescindível, que quando um casal resolve ter filhos, que a função de criar, cuidar, limpar, alimentar, amar, enfim, tudo, seja dividida entre os dois, isso é importante para o casal, e para a criança.

 

Eu e meu marido moramos em Santa Maria, Rio Grande do Sul, mas nenhum de nós é natural daqui, somos cada um de um canto do estado, então só podemos contar um com o outro. E foi assim desde a hora que a bebê nasceu, eu entrei em trabalho de parto, antes da hora, e fomos sozinhos para o hospital, após a cesárea, eu fui para a sala de recuperação, a minha bebê foi ser higienizada, e vestida, e entregaram ela para ele e disseram, ‘esta aqui a bebê, e a malinha, e “te vira” papai’, e ele conta que pensou, ‘tá e agora? O que eu faço?’ E desde esse momento ele foi incrível, ele super deu conta do recado, se superou mesmo. Ele nunca tinha cuidado de um bebê, ainda mais recém-nascido, e prematuro. E com toda a certeza ele se saiu muito melhor do que eu, e até hoje, ele da conta do recado, com muito mais facilidade e naturalidade do que eu.

 

Às vezes me envergonho de contar, mas mandei mensagem para o Pablo vir para casa no meio do dia, que a bebê estava chorando, e eu não sabia o que fazer, empurrar o prato em janta com os amigos, e ele vinha, e como magica, fazia ela parar. No primeiro mês, o mais complicado, onde o bebê mama o tempo todo, e por muito tempo, eu cheguei a amamentar de 40 em 40 min, e as mamadas duravam de 40 min a uma hora, sem o Pablo, eu não teria conseguido, ele acalmava ela entre as mamadas, tomava conta, trocava a fralda e me deixava dormir, só me acordava para amamentar, e dormia apenas nesse intervalo. Ele sempre está presente no momento do banho, veste ela, e me entrega para amamentar depois. O monitor da babá eletrônica, fica na cabeceira dele, ele que acorda, e levanta durante a noite para atende-la. E até hoje, tem vezes que ela só acalma no colo dele. E ontem rolou o primeiro banho de chuveiro deles!

 

São só alguns exemplos, coisas que as mães fazem o tempo todo, e que ninguém escreve um texto elogiando, que ninguém percebe. Por muitos anos as mães ficaram sobrecarregas no papel de criar os filhos, ainda mais que antes, se tinha mais filhos. O que meu marido faz, é o que todos os pais deveriam fazer, mas infelizmente não são todos que tem essa consciência, de que os filhos são dos dois, que já basta a tarefa de gestar e amamentar cair inteira sobre os ombros das mães. Meu marido faz a parte dele, e está criando uma relação com a nossa filha, um vínculo, extremamente sólido, ela vai sempre saber que pode contar com ele, para sempre. Papai, muito obrigada por tudo o que fazes por nós, todos os dias, pode parecer pouco, detalhes, mas é extremamente importante, e sem tudo isso, eu não conseguiria.

 

Enfim pessoal, esse foi o recado de hoje, papais não percam a oportunidade de serem pais, esperem, não deixem para depois, para quando estiverem maiores… No próximo texto quero falar sobre amamentação. Beijos e até…

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

1 × um =

©2020 BLOG DE TODAS desenvolvido com muito amor.

FALE CONOSCO

Nos envie seu um e-mail e nós retornaremos para você, o mais rápido possível.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account

treze + dezoito =