E o fim de ano chegou, aquela loucura, nos viramos em mil, para dar conta de tantos compromissos, confraternizações, todo o estresse acumulado do ano, e mesmo assim, sobra tento para aquele questionamento, que por mais que a gente negue, todo mundo se faz, ‘o que eu fiz do meu ano?’ Será que cumprimos tudo aquilo que prometemos? Realizamos as coisas que planejamos? Todo ano é a mesma história, não adianta, sempre falamos, ‘esse ano vai ser diferente’, ‘esse ano vou realizar determinada coisa’. Isso é normal, faz parte, mas quero fazer um convite. E quem sabe, hoje a gente faz a lista ao contrário, ao invés de planejar a lista do ano que vem, vamos rever a desse ano, elencar tudo aquilo, que foi feito, comemorar as nossas vitorias, e analisar aquilo que não foi realizado, ver se no fim das contas não foi melhor assim, ou se não fez diferença. Sem frustrações gente, só para refletirmos melhor, zerar esse ano, levar tudo o que foi bom, e deixar para trás aquilo que não acrescenta, e quem sabe, então criar uma nova lista, mais a nossa cara, mais realista, e que exista a possibilidade de cumprirmos, sermos justo conosco.

 

Todo ano inicia um novo ciclo, uma serie de oportunidades, na verdade todos os dias nós podemos fazer a diferença, oportunidades passam por nós o tempo todo, mas as vezes, na maioria delas, não percebemos, estamos tão acomodados, tão envolvidos na nossa rotina, que não nos damos conta. Vamos deixando para depois, quem sabe amanhã, colocando empecilhos, esperando o momento certo, dando um milhão de desculpas. Eu vivi de desculpas por muitos anos, fiquei estagnada, não era feliz, e não tinha coragem de mudar, pior, não via a necessidade, achava que tinha o suficiente! Mas e o que é o suficiente? Por que me contentar com tão pouco? Claro, que não podemos ser insatisfeitos, devemos ser gratos, mas não devemos nos acomodar, em um lugar, uma situação, por achar que não merecemos, ou que não conseguimos, devemos buscar sempre por algo melhor, por sermos pessoas melhores. Eu me deixei levar, existindo, vivendo no automático. Isso tudo teve uma grande influência de uma depressão profunda que vivi, mas também, teve outro fator, muito mais sério, e preocupante, o medo! Medo de não dar conta, medo e não ser capaz, medo de fracassar, medo de ter medo, medo! Ele me paralisou…

 

Esse ano que passou, foi sem dúvida o melhor ano da minha vida, completei meus trinta anos da melhor forma possível, de bem comigo mesma, buscando ser alguém melhor, agindo, fazendo acontecer. Foram uma serie de realizações, minha vida deu uma virada que eu nunca imaginei que seria possível, já que eu tinha medo do que poderia ser. Esse ano me permiti experimentar, me arriscar, sair da zona de conforto. A primeira decisão foi parar de reclamar, e agradecer mais, e isso foi determinante para as mudanças seguintes. Isso mudou minha vibração, e a partir dai atraia cada vez mais coisas boas. Me libertei da depressão, que me trancava em uma realidade paralela. Emagreci, muito! Passei a me admirar, me amar. Venci o medo, quase pânico de dirigir, e então experimentei verdadeiramente o que é ser livre. Me coloquei como prioridade da minha vida, o que eu gosto, o que eu quero, e isso não tem nada a ver com ser egoísta, viu. Aprendi o valor, e a importância das amizades. E para finalizar o ano, com chave de ouro, o rompimento de um longo ciclo, algo que eu não busquei, não desejei, por causa dele, do medo, mas que era necessário, que era importante, precisava acontecer, e se talvez não fosse da forma como foi, eu teria ficado lá na zona de conforto, que de confortável não tinha nada, mas eu achava que podia continuar, sabe se lá quanto tempo mais.

 

Iniciei esse ano, sem muitas listas, eu não esperava muito dele, as coisas foram acontecendo, eu busquei, me joguei nas oportunidades, e fiz o melhor ano da minha vida, e agora, no momento em que um grande, e demorado ciclo da minha vida, que está se encerrando, poderia ser o suficiente para me derrubar, me trazer a depressão de volta, eu estou pronta para encarar, reagir, e ver, não como algo ruim, mas uma benção, uma oportunidade de mudança, de crescimento. O medo? Ah, ele está aqui ainda, mas não escuto muito ele, prefiro ouvir as possibilidades. Que grande evento foi esse? Assunto para semana que vem. Um ciclo de dez anos, onde me conheci, aprendi, cresci, dentro daquelas possibilidades. Agora começa, um novo, novos desafios, novas experiências, novas oportunidades. Sou grata por tudo o que vivi, pois assim saberei o que fazer nessa nova caminhada.

 

Sim, ano terminado com saldo positivo!

 

E o seu?!

 

Bom pessoal, fico por aqui, analisem, revejam, e dai reescrevam uma nova lista, mas dessa vez, de coração! Volto na semana que vem, vou contar sobre esse ciclo que se encerra da minha vida… Beijos e até quinta!

 

2 Comentários
  1. sibele 6 meses atrás

    lindo, amei!!!! Como diz a música… Sou seu fã…

  2. Camila Freitas 6 meses atrás

    Textãoooo Dani, amei!
    E essa foto heim? Que diferença 🙂

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

FALE CONOSCO

Nos envie seu um e-mail e nós retornaremos para você, o mais rápido possível.

Enviando

©2019 BLOG DE TODAS desenvolvido com muito amor.

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account