Começo hoje com um aviso: não leia se não tiver coração forte, porque vai chorar também!

Amo tanto que nem sei dizer o quanto amo!

Dói de amor por um serzinho tão puro e indefeso que não dá para explicar.

 

Ela veio morar na minha casa, entrou na minha vida há cerca de doze anos, logo depois que me

Casei, quando estávamos querendo ter mais alguém para compartilhar o nosso amor.

Eu queria ter uma fêmea de yorkshire e ele me convenceu de que a melhor raça era a

Boxer, sem dúvida alguma. Boxer?!! Com aquela cara preta, de quem já vai morder?

Não podia me convencer disso, mas comecei a procurar os anúncios no jornal…

Então, eis que me deparei com um em especial que falava em uma pequena Boxer de 4 meses que precisava ser vendida. Senti algo.

Disse pro meu esposo que queria conhecer essa menina.

Então, fomos lá na dona, bem longe de casa.

Ela, que já atendia pelo nome de Capitu, parecia saber que tinha que convencer a mim pra ir pra casa com a gente… Subindo no meu colo, chamando minha atenção, uma linda Boxer bebê, esperta e carinhosa.

Virou nossa maior fofura, mimada como filha, cheirosa tomava banho toda hora, dormia no sofá ou na nossa cama. Sempre pertinho!

Logo bebê, nos deu um grande susto, teve cinomose, que se curou com muita reza para São Francisco de Assis, amor, medicamentos e cuidados, milagrosamente sem sequela nenhuma, levando toda uma vida saudável e feliz!

Foi crescendo e estragando muitaaaaaaassss coisas, muitos chinelos nossos e dos vizinhos, muitas plantas e meu primeiro MP3 que levei meses para ter, só porque eu não quis levar a querida junto no passeio aquele dia!

Quem diz que cachorro não tem inteligência e estratégia para conseguir o que quer, não conhece bicho de verdade e quem tem cachorro, convive de perto e ama, sabe do que estou falando!

Com cerca de um ano e meio foi namorar o Slash, um Boxer tigrado puro, coisa mais linda, de um vizinho.

Depois vieram os primeiros dois filhotes dela, Baco e Thor, que ficaram morando conosco, contrariando a ideia inicial. Quem consegue vender filhotes tão lindos?

O Thor saiu igual ao pai, um touro! O Baco mais miudinho e cheio de dengos. Sempre queria atenção que o mano tomava dele. A comida também!

O Baco fugiu de casa quando tinha um ano e foi pego por alguém, ficamos dias procurando, nada.

Me consolo pensando que quem o levou fez o seu bem e cuida melhor que nós.

Éramos uma família de dois, depois três, com ela, minha fadinha linda do coração! Depois quatro, depois três de novo. Chorei tanto…

Logo depois eu tive o Enzo, meu primogênito e as coisas começaram a mudar pra ela…

A mamãe não era mais dela, tinha um bebê na casa que ela respeitava e defendia muito, sempre em volta, pelos cantinhos, observando quietinha.

Penso que ela me entendia, por ser mamãe também.

A natureza é sábia.

Aí já não tinha mais direito a camas e sofás.

Era só a caminha dela mesmo, pelos cantos da casa.

Foi se acostumando a ficar de lado.

Ela teve outros 5 filhotes depois, que acabaram sendo doados aos amigos.

Quatro anos depois, chegou a Sophia, minha caçula linda, bonequinha.

Ela já sabia como era, quietinha, pelas voltas.

Feliz sempre ficava quando ganhava banho, daí era liberada para andar solta pela casa, brincando com as crianças. Éramos seis na família!

Somos seis ainda. Tenho sentido agora que por pouco tempo. O Tempo dela por aqui está acabando. Minha linda.

Sempre vai ser a minha primeira filha do coração.

Lágrimas rolam no meu rosto só de pensar na despedida.

Esses dias ela passou mal. Levamos na clínica veterinária.

Posou lá para exames. Está velhinha, bem velhinha.

Tem cerca de 12 anos e 11 meses, o equivalente a uns 87 anos humanos.

Tem dificuldade em caminhar. Seu cérebro não reage mais como deveria. Disseram que não tem mais muito tempo conosco, embora a saúde geral esteja boa.

Ontem ela teve uma convulsão, tremia muito, chorava.

Foi a pior cena que já vi com ela, em toda a minha vida!

Chorei demais, rezei muito para São Francisco de Assis ajudar como fosse o melhor pra ela, mesmo que fosse levar pra junto dele, pois prefiro que ela parta do que ver sofrendo o bichinho que tanto amo!

Logo ela melhorou, passou o ataque, Graças a Deus.

Mas não paro de pensar nisso, nessa tão indesejada, mas necessária despedida.

É a mais linda história de vida de uma cachorrinha Boxer chamada Capitu! Que foi sempre muito amada e que está se aproximando do seu final de vida. Pelo menos aqui nesse plano.

Digo pra ela que vai encontrar com os outros filhos dela que já foram, que São Francisco está esperando, porém é muito difícil.

Eu não imaginava o quanto! Nunca perdi ninguém tão próximo de mim antes. Ela é a fada que me ensinou a amar e cuidar, ser responsável por outro ser. Me treinou como mamãe, sendo maravilhosa como sempre foi!

Rezo para que a sua passagem seja breve, com a menor dor física possível e de luz!

Sou imensamente grata por ter sido sua dona e sua Mamãe de coração! Uma dádiva!

Como ela está aqui conosco, aproveito cada momento para afofar minha Pipitu bastante!

A hora vai chegar e, quando chegar, não sei como vou reagir. Só sei que esse amor infinito, infinito continuará. E que a gratidão que sinto por ela é imensa e sempre será!

Minha linda filha Capitu, Pipitu do meu coração, te amo!

1 Comentário
  1. Bruna Oz 9 meses atrás

    Awnnn que amor!! Realmente os cães são grandes seres que transmitem paz e energia boa ao ser humano…por isso vocês chamam a boxer de filha! Ela é muitoo mansinha, estava com medo por causa do seu tamanho…Agora a próxima vez que for na sua casa quero brincar com ela…

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

FALE CONOSCO

Nos envie seu um e-mail e nós retornaremos para você, o mais rápido possível.

Enviando

©2018 BLOG DE TODAS desenvolvido com muito amor.

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account