Por onde começar a escrever… meu coração confunde-se na alegria do presente e nas memórias do passado… há três anos atrás….

Fundo do poço: era assim que me sentia, olhava ao meu redor e não conseguia alegrar-me verdadeiramente. Embora muitas pessoas nunca percebessem nada.

A morte era meu pensamento fixo, meu desejo, o “único” caminho que eu pensava possível para aliviar a minha dor, a culpa que eu sentia, a falta de algo que eu não sabia explicar… não importava o que acontecesse, havia um vazio que eu não conseguia preencher.

Terminei minha faculdade, passei em concurso público para a profissão que escolhi desde a infância, tinha um bom carro, estava construindo minha casa, tinha um bom marido, um lar baseado em verdade, fidelidade e respeito mútuo, uma filha saudável, inteligente e linda… Mas a dor continuava, um vazio inexplicável e a vontade de tirar minha própria vida… O fundo do poço!

Certa noite, após uma discussão com meu marido (a qual sinceramente de tão desnecessária eu não lembro o motivo), com os olhos inchados de tanto chorar, levantei da cama com o desejo gritante de pegar uma faca e acabar com tudo aquilo. Fui ao quarto da minha filha (4 anos)  com o intuito de dar-lhe o último beijo e me despedir, quando sentei ao lado do seu berço e olhei para ela, aquele ser perfeito que Deus tinha me dado, chorei mais ainda e desisti da loucura que estava prestes a cometer.

No outro dia, conversei com minha mãe e minha irmã de que precisava de ajuda pois não estava bem, mas não contei o que havia acontecido… Minha mãe sugeriu uma psicóloga. Era uma quinta ou sexta feira, fiz isto, marquei horário com uma psicóloga para a segunda feira.

Entretanto no sábado recebi um convite que mudaria toda história. Minha irmã que havia ido a um seminário de mulheres na CBVN me convidou para o culto de mulheres no sábado e aceitei seu convite.

Naquele culto, em que não devia de haver mais 15 mulheres Deus falou diretamente ao meu coração e o quebrantamento foi imediato. Desde o abraço na recepção, os louvores ministrados (Só uma frase – Mariana Valadão/ Ele continua sendo bom – Paulo Baruck/ Vem sobre mim – Fernanda Brum) e a Palavra trazida… onde ela pregava sobre o quanto a mulher acumula sentimentos, sonhos desfeitos, desilusões… e o quanto devemos “limpar” nossos corações de tudo que já passou e viver uma nova história, um novo tempo…

 Sai de lá renovada… quebrantada… com desejo de VIVER! VIVER AS BENÇÃOS QUE DEUS JÁ ME DEU…VIVER A LINDA HISTÓRIA QUE ELE ESCREVEU PRA MIM…

Deus me mostrou o quanto me ama, o quanto sou preciosa para Ele e o quanto Misericordioso, Bondoso e Fiel Ele é e sempre será… 

Mas a cura é processual. Os dias não são sempre coloridos. Continua havendo dificuldades, desafios, tempos de deserto, sonhos que ainda não realizei… Mas hoje aprendi a firmar os olhos Naquele que me sustenta. Aprendi que nem tudo é (ou será) do jeito que planejo, mas que maior que as minhas dificuldades é o amor de Deus por mim.

Eu sou amada!

De repente você pode estar pensando: – Sim você é amada, tem marido, dois filhos, profissão. Você não conhece a minha história! Comigo é diferente! Ninguém me ama! Ninguém se importa comigo!

Eu te digo: Há um amor muito amor que esse! O amor que Deus tem por você! Você é filha amada Dele, Ele se importa com você!

Quer uma prova disso?????

Ele fez esse testemunho chegar até você!

# Não desista de viver! Deus te ama!

 

“ Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre?

Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti, diz o Senhor”  Isaías 49:15

 Analéia Maraschin da Costa

 

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

FALE CONOSCO

Nos envie seu um e-mail e nós retornaremos para você, o mais rápido possível.

Enviando

©2019 BLOG DE TODAS desenvolvido com muito amor.

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account

Pular para a barra de ferramentas