Você já ouviu aquela expressão “você é o que você come?” Sim? Não?

Eu confesso que a achava bastante estranha, pois existem tantas opções de alimentos, que ficava pensando como isso poderia definir alguém.

Bem, informação é tudo. Estudei vários temas ligados à saúde física e mental, com o objetivo particular de melhorar a minha vida. Aqui vou abordar um desses pontos.

Quando resolvi “pensar fora da caixa” sobre alimentação, me libertei do que vem no automático da mídia e da cultura que vivemos, onde ninguém escolhe com consciência o que vai comer, mas sim, recebe tudo pronto e vai comendo, comendo, comendo. Às vezes, engordando, se intoxicando, vivendo doente, sem nem saber o por quê.

Chega de desinformação e de aceitar tudo o que o mundo diz para fazer e pensar por mim mesma, escolher por mim mesma, o que faz sentido pra mim, com a vida que quero ter, o corpo que quero ter e meus valores.

Fiquei chocada em alguns momentos, por descobrir que está tudo invertido, trocado de lugar, fora de natural para um ser humano saudável.

A lição maior que vou destacar é que podemos viver bem comendo cerca de um terço do que somos acostumados e que isso traz muita, muita saúde e qualidade de vida. O corpo gasta muito tempo e energia tentando digerir o absurdo que coisas que somos habituados a colocar pra dentro. Sim, habituados, porque quase nada disso é fome. Apenas hábitos.

Quantas vezes você já sentou à mesa para o almoço ou jantar e pensou que não tinha fome alguma, pensou até em se levantar e sair, mas alguém lhe disse que era “hora de comer”?

Comigo, isso já aconteceu inúmeras vezes. Não faz sentido agir assim. É quase como se estivesse me envenenando ao invés de alimentando. Alimentação sadia é leve, nutre seu corpo e sua mente para o que ele precisa e não o sobrecarrega com um fardo que tem que carregar.

A dica que mais gostei, sugerida pelo inovador e disruptivo médico e nutrólogo Dr. Lair Ribeiro, é comer em um prato bem menor do que você está acostumada a usar, ou seja, o pratinho do lanche. Você pode comer até saciar cerca de 80% da fome e parar antes dela terminar. Isso faz com que você aproveite 100% do que comeu, sem acúmulos nem peso extra, no corpo ou na consciência.

Enfim, cada um faz o que considera melhor para si. Estou estudando, aprendendo, testando meus limites e vitalidade. Tenho gostado muito dos resultados, até agora. Vale pesquisar mais.

Por Dani Limberger

4 Comentários
  1. Camila Freitas 6 dias atrás

    Muito bom Dani, também to me testando quanto a alimentação.
    Sucesso pra nós 🙂

  2. Bruna Oz 6 dias atrás

    Exatamente assim! Muitas pessoas comem por prazer, comem para fazer companhia aos amigos e família em vez de se alimentar quando realmente o corpo precisa! Veja meu texto sobre o tema parecido com o seu” Você está apenas satisfazendo seu corpo ou se nutrindo? Depois, de meses, verá a grande diferença e principalmente como seu corpo estará feliz e sem precisar sofrer, e ir atrás de dietas mirabolantes! Tenho muito orgulho de você…<3

    • Autor
      Dani Limberger Coach 5 dias atrás

      querida, sempre me acompanhando com carinho e sendo essa nutricionista especial, disposta a judar com seu conhecimento! gratidão!

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

FALE CONOSCO

Nos envie seu um e-mail e nós retornaremos para você, o mais rápido possível.

Enviando

©2018 BLOG DE TODAS desenvolvido com muito amor.

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account