Quem nunca deu risada de si mesmo, se pegou pensando em algum comportamento, ou opinião, de um tempo atrás, e pensou: ‘Coitada! Como eu era ingênua…’ Não sei vocês, mas isso acontece comigo o tempo todo, as vezes acho graça, outras dá até um pouquinho de vergonha. Mas essa que é a graça de crescer, de amadurecer, deixamos de ser criança, viramos adolescente, chega a fase adulta, a terceira idade, e as mudanças não são só no físico, na aparência, na saúde, nós mudamos sim a forma de encarar as coisas, e a cada etapa da vida seremos diferentes, mas acredito que estamos em constante aprimoramento. As vezes valorizamos muito pequenos detalhes, que se tornam irrelevantes lá na frente, do mesmo jeito que aprendemos a dar mais atenção a coisas que antes não tinham tanta importância, e sabe, não tem nada de errado nisso, e sim, na verdade, faz parte, e estranho seria pensar igual a vida inteira, precisamos mudar, para progredir, ou ficamos estagnados. Ser igual sempre, é chato, monótono, precisamos descobrir coisas novas a nosso respeito, mudar de opinião de vez em quando, admitir que estamos errados, valorizar mais algumas coisas, deixar para lá o que não nos faz bem…

 

Sabe quando a gente abre o face, e aparece, lembrança de… sei lá dois anos, seis anos, enfim, já vi muita coisa legal, fotos com pessoas que a vida levou para destinos diferentes, mas que não deixaram de ser queridas, ou com pessoas que nos afastamos, sei lá porque, e tu te pega pensando, bah, a gente era tão feliz, e da aquela vontade de falar com a pessoa, ou constatar, nossa fulano já estava na minha vida desde essa época, uma reunião de família, as vezes com algum ente querido que infelizmente já se foi, e bate aquela saudade. Eu acho muito legal essa ferramenta do facebook, nos provoca reflexões muito legais, as vezes dolorosa, outras felizes, nos mostra como a vida vai seguindo, as coisas melhoram, as vezes não, mas nos mostra que podemos, que um dia eu consegui, porque não posso fazer de novo. Mas tem vezes que aparecem lembranças, que chega a dar vergonha, eu já tive vergonha de várias, se eu pudesse voltar no tempo, nunca teria postado aquilo, nem tanto com as fotos, mas coisas que já escrevi, fico pensando, meu Deus, onde eu estava com a cabeça?! Será que era eu mesmo?! Antes eu me envergonhava mais, agora tenho achado graça, entendi que isso faz parte do processo de maturidade, e que mudar de ideia, é um sinal de que estamos indo no caminho certo, vejo toda a estrada que percorri, as vezes em pouco tempo, evolui muito, e percebo o quão longe ainda posso ir…

 

Já fui bastante intransigente, mente fechada, e inflexível, penso assim e pronto! Já cheguei a ficar estagnada por anos em uma mesma ideia, posicionamento, sendo que essa postura nem sempre era a melhor, não me contribuía em nada, e eu lá empacada, querendo fazer o mundo concordar comigo, gastando tempo e energia, querendo impor a minha forma de pensar, sendo que nem sempre, era a melhor solução, mas o mundo tinha que se dobra ao que a D. Encrenca, como meu marido me chama, queria. Depois de muito me dar mal, de perder pessoas queridas, de amizades se afastando, percebi que não conseguia manter um diálogo saudável, sem ter nenhuma discussão, ou desconforto, com meu marido, familiares, colegas, enfim… Mas graças a essas transformações que a maturidade nos proporciona, eu consegui ver que estava errada, que eu deveria mudar, e mudar, e mudar, quantas vezes fosse necessária, que ser flexível, não tem nada a ver com não ter personalidade, que não preciso impor as minhas vontades, e que as vezes, as ideias do outro, podem sim ser melhores do que as minhas. Eu mudei meu posicionamento, e vi que é mais fácil, mais leve, ser uma pessoa ‘de boas’. Me libertei da necessidade de sempre de ter razão, e isso me trouxe uma paz, serenidade.

 

Eu mudei, mudei muito, minha forma de encarar a vida, meu comportamento com relação a comida, meu gosto musical. Sabem aquela música, Metamorfose Ambulante… E isso me fez bem, me reinventar, perceber que posso ser diferente, melhor, que não precisamos ficar o resto da vida presos naquela forma. Hoje eu me sinto bem como estou, mas já não tenho a ideia de que preciso ficar assim, posso daqui a pouco mudar de novo, e ser melhor ainda, não preciso ter medo das mudanças. Não precisamos ficar presos a estereótipos, e nem ter vergonha de querer mudar, ser melhor, não podemos ficar presos aos que os outros pensam, ao que vão dizer se mudarmos, mudei, por mim, para mim, e me fez feliz. E se puder dar um conselho, é esse, mudem! Encorajo vocês a se analisarem, e se modificarem, dá medo sim, mas é tão bom. E nos permite viver cada dia coisas novas, ter experiências diferentes.

 

Te desprenda do mesmo… Mude… Experimente…

 

Bom pessoal, esse foi meu recado de hoje, se permitam mudar, viver de forma diferente, o novo assusta, mas o velho aterroriza mais… Volto na próxima semana, trazendo o tema bem polêmico, sobre opiniões, amizades, e redes sociais… Beijos e até quinta!

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

FALE CONOSCO

Nos envie seu um e-mail e nós retornaremos para você, o mais rápido possível.

Enviando

©2018 BLOG DE TODAS desenvolvido com muito amor.

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account